terça-feira, setembro 28, 2010

Escapar

Mais uma vez aqui estou
Para falar daquelas coisas de sempre
Para palavrear minhas impressões do mundo
Para ser grito em meio às palavras escritas...
Mais uma vez sou enigma em mim
E loucura prestes a explodir
E dispersão rítmica.
Mais uma vez eu sou flecha que voa longe
Para distante de mim e de tudo que me circunda.
Para nunca ser raiz...
Para simplesmente respingar-me por aí...
Além-mar...
Além de mim...
Além de tudo assim: meio sem fim...
Confesso que gosto de fugir a conceitos possíveis.
Gosto de confundir.
De indefinir.
É possível ver o mar da janela da alma.
E contemplá-lo nas ondas que batem imaginariamente.
Posso tudo aqui no espaço da palavra.
Posso tudo que não posso lá fora.
Posso tudo que me escapa.
Pois aqui, eu sei que livre, eu posso escapar!

3 comentários:

  1. E viva a liberdade... a vida... e a poesia!!!!!
    Adorei as novas cores da casa.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Viva tudo isso e mais um pouco! Sinta-se sempre à vontade nessa casa, afinal, ela também é sua!

    Beijos, amiga!

    ResponderExcluir
  3. No universo da palavra, podemos tudo que a vida real não nos deixa executar, não nos deixa pensar.

    ResponderExcluir